Largando o emprego para empreender

04.01.2018 Idealize

A virada do ano sempre é sinônimo de mudança. Você cria novos desafios para cumprir e desejos para realizar, inclusive mudar de carreira.

O número de pessoas que optam por empreender é bem maior hoje em dia do que há alguns anos atrás, segundo a Global Entrepreneuship Monitor 2016 – pesquisa que analisa o cenário empreendedor ao redor do mundo. Enquanto em 2002, 55% dos empreendedores eram por necessidade, em 2016 a maior parte dos empreendedores já eram por oportunidade (57%). (Faça download da pesquisa completa aqui)

Tudo isso acontece em virtude do cenário econômico, facilidade no acesso à informação e um forte incentivo de vários atores na educação empreendedora. Hoje em dia é muito fácil aprender sobre como se preparar para empreender (como é o caso aqui do Vamos Empreender) e interagir com outros empreendedores para trocar experiências.

O importante é sempre planejar para fazer a transição de funcionário a empreendedor de forma tranquila e com o pé no chão.

Por conta disso, muitas pessoas começaram a tomar a atitude de deixar seus empregos para virarem empreendedores. Mas abrir mão de salário garantido, benefícios como 13º, férias, FGTS e, em alguns casos, auxílios com alimentação, transporte, educação e saúde, não é uma decisão fácil.

São vário os motivos que as pessoas tem para largar o emprego e decidir empreender. Confira abaixo alguns deles:

1) Descobrem uma oportunidade de negócio.

É muito normal as pessoas atuarem em um determinado mercado e, de tanto conviver com ele, começarem a identificar falhas na forma que as empresas atuam no mercado. Isso acaba motivando a deixar o emprego para tentar entregar ao mercado algo que atenda as necessidades dele.

Foi o caso de Têca (Maria Tereza Falcão), que é publicitária. Ela decidiu trocar a função de funcionária para atuar por conta própria quando percebeu alguns gargalos na forma que algumas empresas do ramo atendiam os clientes. Começou atuando com 2 clientes e hoje possui 8, focando sempre no atendimento personalizado e disponibilidade quase que integral para prestação do serviço.

2) Tem vontade de construir algo maior do que fazem na empresa em que trabalham.

Não existe nada mais desestimulante do que você sentir que não está contribuindo com algo. Quando a pessoa entra numa rotina monótona e repetitiva, sem conseguir perceber o real valor do trabalho que está fazendo, ela acaba procurando coisas diferentes para centrar esforços. Empreender acaba sendo uma opção para essas pessoas.

3) Falta de abertura para desenvolver novas ideias nas empresas que trabalham.

Há ainda aqueles que tem ideias e projetos incríveis para aplicar nas empresas que trabalham – uma forma de colocar suas habilidades empreendedoras em prática e manter-se em um emprego (o famoso intraempreendedorismo).

Porém, infelizmente, nem todas as empresas são abertas a criar um ambiente favorável aos funcionários para intraempreender. E isso acaba fazendo com que ela perca bons talentos, que por sua vez passam a usar os seus potenciais em negócios próprios.

Independente do motivo, o importante é sempre planejar para fazer uma transição tranquila e com o pé no chão. De nada adianta arriscar tudo sem ao menos saber os passos que precisa dar. Pense com calma e veja o que é melhor para a sua carreira.

Escute aqui a coluna completa na rádio CBN João Pessoa sobre esse tema.

Jorge Wanderley